Expedição Atacama 2018

A viagem

Nossa trip foi programada um ano antes, com a ajuda de um amigo que junto com a esposa fez a mesma viagem de moto a dois anos atrás. A idéia principal era visitar a região do Atacama e decidir entre Antofogasta (Pacífico) ou Salar de Uyuni na Bolivia. Nosso comboio foi composto por quatro veículos, entre eles duas Pajero TR4 Flex, um Troller (ultimo modelo) e uma Nissan Frontier, no total de treze pessoas.

Preparativos

Carta Verde (obrigatório) e Seguro viagem(opcional) via corretor.   Seguro SOAPEX Chile HDI (obrigatório) em https://www.hdi.cl/.  Revisão do Veículo 15 dias antes do início da viagem.  Compra de roupas de frio, como segunda pele, luvas, jaquetas e tocas.  Levamos itens de camping por segurança. Medicamentos de uso comum, não esquecendo do RinoSoro!  Veiculo no nome de um dos ocupantes.  Câmera frontal.  Adesivos nos carros. Ferramentas e itens de reposição exclusivos do veículo.

Nosso Trajeto

Começando o deslocamento!

Julho de 2018
Dia 02
Segunda feira, ponto de encontro no Graal da Castelo Branco em SP, onde tomamos café e seguimos sentido Irati – PR, passando antes pela Serra da Serpente em  Ribeira – SP. Paramos em uma cidade pequena antes de Ribeira para almoçar.  Chegamos a noite em Irati onde nos Hospedamos e jantamos , rodamos quase 700km
 
Dia 03
Terça feira, saímos cedo de Irati sentido Dionísio Cerqueira – SC para cruzar a fronteira, que por sinal é bem simples.
Antes de atravessar, fizemos o câmbio ali na rua mesmo, com os “arbolitos”, onde foi feito a troca de Real para Peso Argentino. Melhor cotação do que na casa de câmbio.
Na fronteira passamos pela imigração de posse do RG, Documento do Veículo e informando o destino (San Pedro). Nos deram um documento de entrada, que deve ser guardado até sair do País para cada pessoa e ao passar o carro pediram a Carta Verde e conferiram os dados do veiculo.
Não houve revista, seguimos pela Ruta 12, passamos por Posadas e paramos 100km a frente para almoçar ao lado do posto YPF. Seguimos até Eldorado, Missiones, Argentina para jantar e procurar hotel.
Encontramos um Hotel pouco a frente, em Monte Carlo. Rodamos neste dia pouco mais de 600km.
 
Dia 04
Após o café seguimos viagem, ainda pela Ruta 12 passamos na casa de um amigo em Capioví, que nos recebeu de forma hospitaleira.
Seguimos sentido Corrientes, cidade grande com pouco mais que 350mil habitantes. Bem próximo da ponte principal da cidade, alguns policiais que ali estavam exigiram […] de um dos carros, alegando uso indevido do engate.
Chegamos a noite em Presidente Roque Saenz Peña, comemos Pizza no Giuseppe e avançamos ao próximo vilarejo onde dormimos em um Hotel de Campo em Avia Terai. Rodamos quase 700km.
 
Dia 05
Seguimos sentido San Salvador de Jujuy, onde ficaríamos por 2 dias! A Ruta 16 tem um trecho péssimo em Chaco del Infierno, são mais de 20km com estrada esburacada! Como estávamos de 4×4, usamos e abusamos do acostamento de terra! Chegamos a noite e comemos no hotel.
Rodamos 650km.
 
Dia 06
Em Jujuy acordamos um pouco mais tarde para conhecer a cidade e almoçar.
Mais tarde seguimos sentido Purmamarca, que fica a 50km da cidade via Ruta 9, para comprar souvenirs da região, balas e folhas de coca para enfrentar o dia seguinte.
Retorno ao Hotel para comer e descansar para o dia seguinte.
Rodamos 200km.
 
Purmamarca

 

A aventura começa!

Dia 07
Dia de cruzar a fronteira com o Chile e enfrentar altitudes elevadas e frio!
Saindo de Jujuy, passamos em frente a Purmamarca via Ruta 9 e Ruta 52, paramos em um mirante a 4170m de altitude, onde compramos mais algumas balas de coca.
Passamos por Susques, passamos pelo Salar de Loyoques e chegamos a fronteira (Paso de Jama). Altitude de 4200m com algumas pessoas passando mal, sendo necessário atendimento no ambulatório. Tomaram analgésicos e oxigênio.
A revista foi rigorosa e nenhum alimento orgânico foi liberado. A cruzar o Paso, visual de outro mundo, neve, montanhas, ar rarefeito, com nuvens que parecem mais baixas que o normal!
Chegamos em San Pedro do Atacama a noite, com gelo em volta da pista e descida em linha reta interminável até a cidade. Saímos de mais de 4500m para 2600m em San Pedro.
Comemos uma super pizza e em seguida um “hunter” muito simpático, nos ajudou a conseguir hospedagem. Na primeira noite nos dividimos, mas na segunda ficamos juntos em uma casa de campo. Rodamos em torno de 480km.
 
Dia 08
Saída para conhecer os Cactus Gigantes, Termas de Puritama e em seguida o Valle de la Luna.
Termas de Puritama é um clube termal nos arredores de San Pedro no sentido dos vulcões, dependendo do dia e horário paga-se bem menos.
Fomos domingo pouco antes do almoço e pagamos o maior preço por pessoa, 30.000 pesos! Em dias de semana e mais tarde é possível pagar 9.000 pesos.
O local possui várias piscinas naturais com pequenas quedas d´agua com temperaturas a partir de 36ºC. Tem estrutura com cabines para troca de roupa, vale muita a pena conhecer.
Mais a tarde fomos ao Vale de la Luna, local literalmente de outro planeta, com seu caniôns gigantescos!

 

Termas de Puritama
Valle de la Luna
Dia 09
Saída as 5h da manhã, para conhecer o Geiser el Tatio, com temperatura ambiente de -12ºC e 4600m de altitude.
Muita neve ao redor da pista e frio intenso, além do show dos geisers com águas que jorram sob pressão, com temperaturas que chegam a 85 ºC.
A entrada custou 10.000 pesos e a piscina natural e cabines garantem banho quente aos turistas aventureiros!
 
El Tatio
Voltando de El Tatio

Voltando de El Tatio
 
Dia 10
Saída para conhecer o Valle del Arco Iris, com sua paisagem de múltiplas cores, com direito a trilha 4X4 e passagem por rios!
A tarde o planejamento e decisão foi seguir para a Bolívia!
Valle del Arcoiris
Dia 11
Levantamos e fomos para a Bolívia, destino: Uyuni.
Seguimos  sentido Calama e ChiuChiu por asfalto antes passando pelo Parque Eólico e Fotovoltaico. Em seguida passamos por Ollagüe, caminho dos vulcões e lagunas dos Flamingos. Outra vista estonteante, uma verdadeira pintura o tempo todo no horizonte.
A fronteira da Bolívia e imigração são precários, nem houve revista, o asfalto acaba e seguimos por 250km por terra batida com poeira até Uyuni, cidade ao lado do maior Salar do Mundo, que sediou algumas vezes o Rally Dakar!
Ao chegar a noite, jantamos. Na Bolívia necessita-se um pouco de cuidado com a alimentação, tudo é um pouco precário em relação a higiene. Em seguida fomos ao hotel. Rodamos pouco mais que 500km.
Calama
Ollagüe
250km de poeira até Uyuni
Dia 12
Tomamos café e em seguida visitamos o Salar, com rota definida via Wikiloc, áreas alagadas no início garantiram algo a mais no trajeto.
Ao chegar ao Hotel de Sal, estátuas do Dakar e muitas bandeiras decoravam o local e aos 100 km de sal chegamos a Ilha Incahuasi com cactus e corais além de estrutura com restaurante e “baños”.  Retorno a cidade para lavar os carros, antes que “sumam” com o sal! Fizemos câmbio para Bolivars e jantamos no restaurante Boca Grande, no calçadão de Uyuni, muito boa a comida!
Rodamos algo como 250km.
Salar de Uyuni
Incahuasi

 

Dakar

 
Dia 13
O retorno a Argentina foi por outro caminho sentido La Quiaca. A estrada é asfaltada até um certo ponto, mas complicada até a fronteira, com desvios a todo momento, curvas, foram mais de 200km difíceis com emoção, passando por cidades interessantes!
Passamos a fronteira com entrevista e revista.  Fizemos câmbio para Peso Argentino novamente. Chegamos em Jujuy a noite. Comemos empanadas no Hotel!
Rodamos quase 700km!
 
Dia 14
Saímos sentido Salta, fizemos o caminho do Parque Provincial Potrero de Yala (wikiloc), margeando as montanhas com lindo visual, passamos por festividades do local e paramos antes de Salta para comer em lugar típico. Seguimos pela Ruta 9 por caminho belíssimo em uma estrada antiga e estreita que não comporta dois carros de uma vez, algo muito curioso!  Ao chegar em Salta não encontramos Hotel e fomos comer em uma churrascaria chamada La Casona del Molino, muito boa as carnes, havia fila na entrada!  Após procura, seguimos para a área rural de Salta para dormir em cabanas muito limpas e organizadas.
 

Volta para casa!

Dia 15
Volta para casa, parando em Presidente Roque Saenz Peña para comer e dormir. Rodamos quase 700km.
Dia 16
Almoçamos antes de Posadas e paramos em Eldorado para dormir. Rodamos quase 700km.
 
Dia 17
Saída de Eldorado para SP direto, para curtir o restante das férias, Dois carros ficaram em Puerto Iguazu e Foz por 2 dias, onde nos despedimos.
Rodamos 1200 km, saímos de Eldorado as 10h e chegamos em SP as 5h da manhã do outro dia (18).
Altimetria

1 comentário

  • Muito show, tenho vontade de fazer essa viagem, tenho receio da altitude por causa dos problemas respiratórios.