Caminho do Sal – 02/07/2017

A Trilha do Caminho do Sal, muitos já conhecem, mas os organizadores procuraram fazer um caminho diferente que passasse pela Trilha dos Eucaliptos.
Essa busca por novos caminhos requer vários reconhecimentos prévios na região, para certificar as condições da trilha, classificar o nível e verificar se os veículos que irão participar do evento possuem condições para completar o percurso sem dano ou problemas.
Foi realizado um reconhecimento prévio na quinta-feira – 29/06/2017, pelo coordenador do grupo Witor Lins, a conclusão foi que o trecho precisava ser preparado, haviam várias árvores, troncos e galhos caídos que poderiam atrapalhar o trajeto, bem como uma ponte de madeira muito precária e que precisava de ajustes.
No sábado, dia 01/07/207, a equipe de coordenadores João Corrêa, Marcelo Tralli e Paula Tseng, e o voluntário Fernando Watacabe, se dispuseram a ir até o local e fazer todo o percurso e sanar qualquer problema que poderia frustrar o passeio. Foram retirados galhos, troncos e toras de madeiras do caminho, escavamos com enxadas os buracos para reposicionar as toras e permitir acesso seguro pela ponte, fizemos testes de resistência nos lameiros e nas subidas para assegurar que todos veículos passassem. A trilha estava escorregadia devido as chuvas, haviam varias poças mas com profundidade razoável, as subidas foram mais tensas, pois estava patinando um pouco, percebemos que os pneus originais passariam, mas com certa dificuldade e talvez precisasse de cinta ou guincho.
Enfim o grande dia chegou, expectativa a mil, mais de 45 VTRs confirmaram adesão ao evento.
As 8h30 o ponto de encontro no “Bar da Lu” começou a lotar, não parava de chegar 4×4 dos mais variados tipos, no total, concentraram 41 veículos, mais de 60 pessoas.
Seguimos em comboio, devidamente organizado – intercalando carros com guincho com veículos originais, no final deixamos os carros mais pesados e com pneus maiores, para não cavarem tanto a trilha (Troller, Triton, Pajero Full), por um pequeno trecho de asfalto e logo já adentramos a trilha, para nossa surpresa ela estava um pouco diferente do dia anterior, devido as chuvas que cairam a noite. Com muitos participantes auxiliando, os veículos foram subindo com um empurrãozinho a mais. No final, todos subiram e completaram a trilha.

Quase no fim da trilha, optamos por um desvio, pois constatamos que o segundo morro apresentava um grau de dificuldade mais elevado e vários carros seriam guinchados.

Após a trilha, voltamos para a estrada de terra e seguimos até Mogi das Cruzes, passando por Furnas e retornamos para Paranapiacaba através da Estrada do Taquaruçu. Estradinha que guarda suas belezas naturais, com muita mata e animais silvestres.

Encerramos o encontro com um almoço as 15h30 no “Bar da Zilda”, pudemos ver a alegria e o sorriso das pessoas por terem concluído a trilha, a satisfação de terem superado vários desafios e recebemos tantos abraços de afeto e gratidão, que justifica todo o empenho dos organizadores e colaboradores do grupo. Bom, até a próxima e venha fazer parte das nossa histórias!

pt_BRPortuguese